Pra Que Lado… tem rolézinho: Morro da Conceição

Estudei a vida inteira no centro do Rio. Primeiro no colégio, depois na faculdade. E se tem algo que sempre senti, foi uma relação de amor e ódio com esse lugar.

Pra chegar sempre tem um trânsitozinho. Pra atravessar a rua é uma selva de gente se esbarrando. Andar na calçada é uma gincana: desvia de gente, desvia do pivete, desvia da gota de ar condicionado, pula o buraco e por aí vai. São fortes emoções.

Pra completar a trajetória da vida nesse lugar, há quase 10 meses trabalho por aqui. Enfrento essa gincana aí de cima diariamente.

Mas aí, uma coisa começou a me encantar, fazer meus olhos brilharem e botar a lente do celular pra funcionar. A arquitetura daqui. Tem muito prédio sem graça, mas tem tantos sobradinhos lindos, com janelas coloridas, que acaba compensando.

Com o pessoal do trabalho, descobri o Morro da Conceição. Um pseudo Oásis no meio dessa selva de pedra e pessoas.

Já tirei tantas fotos por lá e todo mundo gosta tanto, que resolvi reunir as minhas preferidas nesse post.

 Processed with VSCOcam with c1 preset Processed with VSCOcam with t1 preset Processed with VSCOcam with g3 preset Processed with VSCOcam with t1 presetProcessed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with m5 preset Processed with VSCOcam with f2 presetProcessed with VSCOcam with c1 preset Processed with VSCOcam with c1 preset

Se você não trabalha pelo centro da cidade, mas quer conhecer esse lugar, te recomendo dois momentos pra um sábado: um almoço no Angu do Gomes (R. Sacadura Cabral, 75) e um passeio pelo MAR – Museu de Arte do Rio.

Processed with VSCOcam with m5 preset

Vale a visita!

Anúncios

Pra Que Lado… se come: Bar Imaculada

Trabalho numa região do centro da cidade do Rio que, a meu ver, é o lugar mais selva de pedra da cidade. Não bastasse a muvucada diária, a gincana pra atravessar as ruas, os desvios intensos das gotas de ar condicionado que não param de pingar, o calor acima da média da cidade, o lugar ainda tem prédios gigantes. Dá um certo nervoso. Eu assumidamente não curto muito aquela região. Mas claro, nem tudo está 100% perdido. Hoje, sexta-feira de uma semana bastante movimentada, pedia um almoço minimamente feliz. Só pro sorrisinho aparecer no rosto, sem timidez, e dar as boas vindas ao fim de semana. A região em questão é aquela ali perto da Praça Mauá e ela conta com dois Oásis: o museu MAR e o Morro da Conceição. Sobre o MAR falo em outro post. Hoje foi dia de ir pro Morro: Processed with VSCOcam with m5 preset  

No meio de um beco cheio de camelôs pra lá de caótico tem uma escadinha que te leva pra essa rua, que soa quase como um abraço. Dá vontade de ficar ali pra sempre e não sair. Processed with VSCOcam with t1 preset IMG_1649  

Logo no início fica o Bar Imaculada, nosso escolhido do dia. Processed with VSCOcam with m5 preset  

O cardápio não é dos mais variados. De segunda a sexta tem uma espécie de cardápio executivo, com umas quatro opções para cada dia da semana. Hoje foi dia de feijoada. E, para entrada, pedimos o bolinho Bola 7, que é um bolinho de arroz com feijoada (#feijãorules). Eu gostei mais do bolinho do que da feijoada, que não achei a mais maravilhosa do Rio. Mas valeu a pena, claro. Pedimos uma feijoada para duas pessoas e dividimos por três e deu a conta certinha. Com o bolinho e bebidas (nenhuma com álcool), deu R$36,00 pra cada. No site tem uma agenda com eventos que acontecem lá. Uns sambinhas, saraus, chorinhos. Deve ser bem legal também. http://www.barimaculada.com.br/