Pra Que Lado… tem Papo Bom: Gui Poulain

Nessa de fazer um blog e ter uma dedicação ao Instagram, conheci virtualmente algumas pessoas a quem eu me apeguei. Daquelas que eu curto todas as fotos, gosto de acompanhar os projetos e por aí vai. Comecei essa coluna com a Natália Viana, há alguns posts atrás e, dessa vez, chamei o Gui Poulain pra conversar um pouquinho.
O Gui é chefe de cozinha, ilustrador, escreve lindamente, desenha que é uma beleza e tira umas fotos tão tão tãooo lindas que não tem como não gostar dele, mesmo sem conhecer pessoalmente hahaha
Laura: Pra começar queria que você dissesse um pouquinho tudo que você tem feito ultimamente. Eu acho que já me perdi nos seus projetos. Tem o blog, o livro, o Chefe e a Chata. Que mais?
Gui: A base de todo o meu trabalho hoje em dia vem do blog Moldando Afeto. A partir dele vem todos os meus projetos: em 2015 lancei meu primeiro livro, o Cartas Amarelas, que conta as histórias do que vivi estudando confeitaria em um ano em Paris. Adicionei muitas receitas e ilustrações, bem ao estilo do blog. O Chef e a Chata é meu programa no youtube junto da Chata de Galocha, onde eu ensino receitas pra ela e por consequência pra quem nos assiste. Nesse fim de ano estou lançando alguns novos produtos: pratos de porcelana com ilustrações minhas e um caderno de receitas com dicas de cozinha.
Laura: Como foi o início do blog? Qual foi o empurrão pra te fazer criar esse espaço virtual? Ele mudou a sua vida de alguma forma (o meu mudou muito a minha)?
Gui: Em 2010 eu fazia massas frescas pra vender, por encomenda. Queria ter um espaço pra compartilhar receitas e de alguma forma divulgar meus produtos. Minha empresa se chamava Masseria e o slogan que criei era Moldando Porções de Afeto. O blog inicialmente se chamava assim, o slogan das minhas massas. Com o tempo resolvi encurtar o título para Moldando Afeto e quando parei de fazer massas frescas pra poder ir morar em Paris resolvi continuar com o blog. Ele mudou sim minha vida. Nos primeiros dois anos praticamente só meus amigos e família o liam, mas depois disso ele começou a crescer e virou o centro dos meus negócios. Eu não ganho dinheiro diretamente com ele, mas com tudo o que ele me traz. Se eu quero fazer bolos pra vender anuncio por lá, se eu lanço livro é quem me lê no blog que acaba comprando e por aí vai. Eu acho que nunca estaria lançando produtos feitos por mim sem ter esse público querido que vem dele. Além disso, o carinho que eu recebo de volta é muito gostoso.
Laura: Você tira as fotos que você posta lá no Instagram com o celular mesmo ou com uma câmera especial?
Gui: A maioria delas são fotografadas com o celular mesmo (iPhone 5C), no meu dia a dia. As fotos do que eu cozinho são feitas com uma Canon 600D, são fotos que faço pro meu blog e acabo publicando no instagram. As fotos de O Chef e a Chata são feitas por um fotógrafo de verdade (haha!), o Léo Horta, mas considero um pouquinho minhas por ter feito a comida e por fazer todo o styling necessário pra que a foto fique bonita. 🙂
12142273_629764080460310_311106794_n
Laura: Além das aquarelas, de cozinhar, de viajar, tem alguma coisinha simples da vida que te deixa todo feliz de fazer/ver/ouvir?
Gui: Adoro escrever cartas à mão e enviar para meus amigos que moram longe. Fico super feliz quando tenho respostas delas de volta e a coisa vai virando uma conversa, mesmo que seja uma conversa lenta. É um prazer que gosto de cultivar e adoro ter uma caixa com essas histórias guardadas pra vez ou outra reler.
Laura: Já que você morou em Paris um tempinho, deixa aqui três dicas de lugares incríveis, imperdíveis e que pouca gente sabe?
Gui: Um dos meus lugares preferidos em Paris é o Canal Saint Martin. Na primavera e verão é onde os parisienses vão pra ficar na beirada do canal tomando um rosé e batendo papo na happy hour, já que faz um tempo gostoso e o sol se põe por volta de 22h nessa época. Lá em volta tem vários cafés que eu gosto e um dos meus lugares preferidos pra café da manhã ou almoço em Paris: o Holybelly, um lugar mais moderninho, super charmoso e com comida ótima a preços honestos. Na beira desse canal também tem uma das minhas livrarias preferidas, a Artazart. É de livros de design, cinema, gastronomia, fotografia, tatuagens, tudo o que diz respeito à arte. Ela é grande e tem várias coisinhas legais e interessantes além dos livros. Um museu que quase ninguém vai mas que adoro é o Musée de la Chasse et de la Nature (Museu da Caça e da Natureza), no Marais. Sei que é uma escolha que alguns vão achar estranha e torcer o nariz, já que existem muitos animais empalhados por lá, mas é tudo de uma época antiga de caça. O museu em si que é fofo, cheio de papéis de parede de padrões lindos, armas antigas de nobres que mais parecem jóias e histórias interessantes. Me faz sentir dentro de um filme do Wes Anderson.

Gui, seu fofo, muito obrigada por participar ❤

E se você ainda não conhecia ele, corre aqui no blog e no Instagram dele.

Anúncios

5 comentários sobre “Pra Que Lado… tem Papo Bom: Gui Poulain

  1. Adorei! Acho o Gui um fofo. Só pelo que eu leio dele, claro. rs Sem contar que as receitas do livro dele são divinas. Já fiz algumas e pretendo completar o livro em algum momento da vida. ❤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s