Pra Que Lado… é o Mundo: Amsterdam

IMG_3801Processed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with f2 preset

Já começo esse post com um suspiro. Depois de sair de Bruxelas, fomos para Amsterdam que é uma das cidades mais lindas e fofinhas da Europa. A quantidade de bicicletas que você vê pela rua é inacreditável e muitas pessoas falaram para alugarmos uma bike para andar pela cidade. Fomos teimosos e fizemos tudo a pé, que eu acredito ser a melhor forma de conhecer uma cidade.

A parte principal de Amsterdam é bem pequena então você realmente não precisa se preocupar em pegar o Tram ou ônibus. Então aqui fica a primeira dica: quando for reservar seu hotel, apartamento ou hostel, leve em conta a localização dele.

Duas coisas que acho essencial fazer antes de reservar o lugar que eu vou ficar:

– Ver como o hotel/hostel é classificado no TripAdvisor (nunca feche nada sem fazer isso. As opiniões lá são muito mais sinceras que nos sites de reserva, além das avaliações serem bem mais completas e profundas #ficadica

– Pesquisar os lugares que quero visitar na cidade e jogar no Google Maps os endereços para saber se estou ficando em um lugar muito longe. Além disso, você já começa a conhecer um pouquinho da cidade mesmo antes de chegar (sou capaz de ficar horas passeando pelo Street View #nerd).

 

Imperdíveis:

– Experimentar todos os queijos nas inúmeras lojinhas que vendem queijos pela cidade. Eu trouxe dois pro Brasil.

– Comer waffle de Nutella, Stroopwaffle feito na hora, batata frita no cone. Todos esses vendem em barraquinhas que você encontra em qualquer lugar. Pela minha experiência, o Waffle de Nutella é melhor nas barraquinhas do que nas lojas hehehe

– Quando você começa a pedir dicas do que fazer em Amsterdam, todos dizem que o Museu Van Gogh, Casa de Anne Frank e o Rijks Museum são imperdíveis. Quero então incluir mais um na lista: o Stedelijk Museum. Ele fica na Museum Plein (assim como o Rijks e Van Gogh e o i amsterdam sign, que todo mundo tira foto) e é um dos museus de arte moderna mais legais que eu já fui. Sou muito fã de arte moderna, então foi o meu preferido da cidade. A lojinha dele é o máximo também, mas um pouco carinha.

– Depois de dois dias andando por Amsterdam fiquei impressionada com o quanto a cidade é limpinha. Tanto em relação a lixo mesmo, quanto a arte de rua. Demorei muito para encontrar o primeiro grafite na cidade, mas quando encontrei… foi um explosão de cores. E o melhor é que foi completamente sem querer. Estávamos andando por um canal e vi lá no fundo um prédio super colorido. Fomos andando até lá e tcharan:

Processed with VSCOcam with c1 presetProcessed with VSCOcam with c1 preset Processed with VSCOcam with c1 presetProcessed with VSCOcam with c1 preset Processed with VSCOcam with f2 presetProcessed with VSCOcam with c1 preset Processed with VSCOcam with c1 presetProcessed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with c1 presetProcessed with VSCOcam with c1 preset Processed with VSCOcam with f2 preset

Procurem a esquina da Wijdestee com a Spuistraat. Eles ficam por ali.

-De Amsterdam, íamos para Berlin, só que o trem da Alemanha entrou em greve justamente no dia da nossa viagem, então tivemos que ficar mais uma noite lá. Então conseguimos incluir um passeio que estava em stand by no nosso roteiro: ir na Browerij ‘t IJ. O nome é complicado, mas essa é uma cervejaria da cidade que fica um pouquinho longe do centro (mas de Tram, você chega em 10 minutos) e ela fica no único moinho que tem na cidade. Foram as melhores cervejas que eu tomei na viagem toda. Disparado. Vale muito a pena.

Processed with VSCOcam with c1 preset

– Passeio pelo Vondelpark. É o maior parque de Amsterdam. Tem alguns restaurantes e biergartens espalhados por ele, então super recomendo dar uma voltinha e sentar em um deles para almoçar e beber uma cerveja ou vinho.

 

Apesar de toda a lindeza e fofura, Amsterdam é muito mais lembrada pelo Sexo, Drogas e Rock’n’Roll. E é isso mesmo que você encontra lá, ainda mais andando pelo Red Light District. Os Coffeeshops estão espalhados por todos os cantos, assim como as lojinhas especializadas em alucinógenos.

Andando pelo Red Light District você vê as meninas (me surpreendi como a maioria é feia) nas vitrines, várias casas de sexo ao vivo e sex shops.

Acho que só fica faltando o Rock’n’Roll. Esse não vi muito por lá não hahaha

 

Das cidades que visitei nessa viagem, Amsterdam é, definitivamente, uma das que quero voltar em breve, mas no verão. Aliás, se você não for um apaixonado por frio e louco pra ver neve, recomendo MUITO que marque sua viagem para a Europa quando for verão por lá. O clima e a alegria das cidades se transforma e parece que tudo fica mais bonito.

Essa foi a principal diferença que senti entre Berlin que fui há dois anos atrás e agora. Esse é o nosso próximo destino. Aguardem 🙂

 

Beijos

Anúncios

Pra Que Lado… é o Mundo: Bélgica

OK, os planos de postar da viagem foram por água abaixo. Sorry, pessoal.

Cheguei ontem de viagem e vou fazer um post para cada cidade que fui, do que vi de mais legal, do que vi de mais furada e compartilhar com vocês os perrengues maravilhosos que passei 🙂

 

Na Bélgica fui para Bruges e Bruxelas. Fiquei uma noite em cada, então vou reunir os dois aqui nesse post.

Para começar, a primeira dica que dou é: dê prioridade a Bruges. A cidade é muito fofinha, cheia de barzinhos e restaurantes. Chegamos lá numa sexta e a sensação que tivemos é de que é uma cidade de fim de semana mesmo. Então, dica dois: inclua Bruges em um fim de semana 😉

Depois de três noites em Paris e uma em Bruges, fomos para Bruxelas, que é uma cidade que, para nós, deixou MUITO a desejar no quesito beleza (o nível tava alto também). A parte histórica é legal, mas a primeira impressão que ficou foi a de uma cidade grande, meio suja e com pessoas esquisitas.

Por isso, digo mais uma vez: dê prioridade a Bruges.

Processed with VSCOcam with m5 preset Processed with VSCOcam with f2 presetProcessed with VSCOcam with c1 presetProcessed with VSCOcam with c1 presetProcessed with VSCOcam with c1 presetProcessed with VSCOcam with c1 preset

A Bélgica é um dos países que tem as cervejas mais famosas do mundo então já chegamos animados pra fazer uma degustação. Bruges tem muitos barzinhos, um do lado do outro, então fizemos um pseudo Pub Crawl. O preço das cervejas raramente passa dos 5 Euros.

Em Bruxelas, um dos bares mais conhecidos é o Delirium Café e, esse sim, acho um programa legal pra fazer por lá. Não é apenas um bar, mas um complexo de bares, então se um tiver cheio, você pode tentar o outro ou até ficar na ruelinha que tem entre eles. Não passa carro e fica bem animado.

Processed with VSCOcam with c1 preset Processed with VSCOcam with c1 preset Processed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with f2 preset

Obs: a Leffe Ruby é a pior cerveja que eu já tomei na vida. Ela é doce, meio frutada. Tem quem goste, mas eu odiei.

Não conhecia a Vedett e amei!

 

Em Bruxelas tem duas coisas que eu queria ter feito e não consegui por falta de tempo:

– Museu René Magritte

– Atomium

Também ficamos com vontade de ir a Antuérpia, uma cidade ali por perto. É bom que já vai dando o gostinho de quero mais pra uma próxima viagem.

 

Imperdíveis:

Comida: Croquete de queijo. Sério, é sem palavras.

Barzinho: ‘t Brugs Beertje em Bruges e Delirium Café em Bruxelas

Cervejas: Vedett e St. Bernardus. Vale provar também a Brugge Zot, é uma cerveja de Bruges mesmo e muito boa.

Chocolate: Não preciso nem dizer que o melhor chocolate do mundo é o Belga. Prepare-se para encontrar um loja maravilhosa de chocolate a cada passo que der ❤

 

Próxima parada: Amsterdam. Aguardem! Juro que não vai demorar muito!

Beijos

Pra Que Lado… é o Mundo: Paris

Bonjour mes amis!

Estava com idéias mirabolantes para essa viagem. Queria fazer um post por dia contando o que tinha feito, mas não dá, claro.

Chego em casa no fim do dia morta, só pensando em comer, tomar um vinho e dormir.

Então, como tenho alguns trajetos de trem, vou aproveitar esses momentos ociosos pra escrever os posts, como esse.

Estou com o meu namorado fazendo uma viagem por algumas cidades da Europa. Quase um mochilão, só que sem a mochila (estamos na mala mesmo…) e a primeira parada foi Paris.

Há dois anos atrás vim pra Europa pela primeira vez e me apaixonei por esse continente, mas Paris nunca esteve nos meus planos. Simplesmente não me encantava. Tinha vontade de conhecer vários outros países para, aí sim, ir pra lá. Mas não sei o que aconteceu esse ano, que comecei a catar lugares pra viajar, e Paris fez meus olhos brilharem.

E ainda bem que eu não atrasei mais essa viagem. Essa cidade é muito incrível. A grandiosidade das coisas é algo meio chocante. Não importa a rua em que você esteja, sempre tem umas construções perfeitamente feitas e enormes.

Não vou escrever aqui o roteiro que a gente fez, até porque ele não foi muito diferente dos roteiros que todo mundo faz (foram só três dias, então não deu pra inventar muita coisa nova).

Então, vou deixar aqui algumas sugestões das coisas que eu mais gostei na cidade:

  1. Se perca. As vezes que vimos as coisas mais interessantes foi quando estávamos perdidos. O único mapa que a gente tinha era o do metrô. Esse sim, é essencial ter.
  2. Ande muito a pé. Assim você vai conseguir se perder melhor.
  3. Não deixe de ir no 59 RIvoli. É um prédio no meio da Rue de Rivoli que foi invadido por artistas. São alguns andares cheios de arte e cores.
  4. Restaurantes: 1. Entrecôte de Paris. Sim, é o mesmo que tem no Brasil. Uma amiga nos recomendou, mas depois li algumas críticas que diziam que era um pouco “engana turista”. Sinceramente, fui mais enganada em um outro restaurante qualquer que comi na rua outro dia. O Entrecôte é uma delícia, a batata frita é a melhor que eu já comi na vida e os garçons são super simpáticos, então eu recomento.   2. La Fresque. Quando for ao Pompidou, procure esse restaurante. Pra mim, os diferenciais foram o preço, o vinho da casa e o garçom, que sentou na mesa e explicou prato a prato do menu (já que a gente não fala uma palavra em francês).
  5. Se puder, procure um apartamento no Airbnb. Assim, você consegue sentir um pouquinho do que é viver na cidade que está visitando.
  6. Ainda ligado ao ítem 5, passe num mercado e compre queijos e vinhos. Fizemos isso todas as noites e essa dupla não passa dos 7 euros (!!!)

IMG_5311 IMG_5310 IMG_5295 Processed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with t1 preset Processed with VSCOcam with c1 preset Processed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with f2 preset Processed with VSCOcam with m5 preset Processed with VSCOcam with c1 preset IMG_3565 IMG_5322 Processed with VSCOcam with m5 preset Processed with VSCOcam with m5 preset IMG_3684IMG_5322Processed with VSCOcam with c1 presetIMG_5335Processed with VSCOcam with f2 presetProcessed with VSCOcam with c1 presetProcessed with VSCOcam with f2 presetProcessed with VSCOcam with c1 presetIMG_3619IMG_3621IMG_3678

Paris foi, aguardem o próximo destino 😉

Au revoir

Pra Que Lado… tem Férias e dica!!

Férias, gente! Elas chegaram! Depois de um ano tão intenso, eu mereço.

Processed with VSCOcam with t1 preset

Pelos próximos 20 dias vai ter muito rolézinho e dicas dazoropa por aqui! Fiquem ligados.

Como bônus desse post que foi o mais sem conteúdo de toda a história do Pra Que Lado, queria compartilhar com vocês um aplicativo MUITO BOM de planejamento de viagens, o Tripomatic.

Se você está planejando uma viagem, recomendo muito. Você joga lá os dias que vai ficar em cada lugar, e então, ele te sugere os pontos turísticos, restaurantes, lojas. Aí você seleciona cada um dos lugares onde quer ir e define o dia que iria neles. O aplicativo reúne toda a programação e joga num mapa. Assim você consegue ver o que fica perto do que e otimiza seu tempo.

Outra coisa legal é que você gera um login e pode programar toda a viagem no computador (bem mais fácil). Depois, quando abre no celular, já tá tudo lá. Sério, achei demais!

Bem, é isso. Aguardem as cenas dos próximos capítulos 😉

Pra Que Lado… tem Dica: A Moda Imita a Vida

Abandono geral da nação Pra Que Lado, eu sei. Mas essa semana tá crazy. Última semana pré férias (sim!!! Férias!!) em que, aparentemente, tudo resolveu acontecer ao mesmo tempo no trabalho. Fora que vou viajar semana que vem, então qualquer brechinha de tempo que tenho, monto meu roteiro.

Mas enfim, passei aqui pra dar uma dica rápida de livro, que não vai ser novidade pra ninguém, já que é o livro mais divulgado do momento:

Processed with VSCOcam with c1 preset

Mais do que fã das roupas, sou muito fã da marca Farm, como um todo. Na minha opinião, é uma das marcas nacionais mais coesas em relação a posicionamento, planejamento, comunicação… e no livro, o Carvalhal não dá uma aula só para marcas de moda, mas para qualquer segmento.

Achei a linguagem legal também, fugindo um pouco da teoria que a gente aprende na faculdade e trazendo pra vida de uma pessoa comum todos os passos de uma construção de marca.

Recomendo pra qualquer pessoa que trabalhe com marketing, design e comunicação 😉