Pra que lado… é o mundo: Londres

Ontem eu comecei a divulgar aos poucos esse blog (tava meio tímida até agora) e fiquei meio psyco acompanhando as estatísticas. hehe 

Aí, vi que o post mais acessado até agora tinha sido o com dicas de Berlim, então resolvi fazer outro post com dicas de viagem. Nesse caso, uma que sem dúvidas, me deixou muito feliz.

Se tem uma coisa que eu recomendo pra todo mundo é: faça uma viagem sozinho.

A minha primeira foi ano passado, pra Londres. Sempre tive muita vontade de ir pra lá e a falta de namorado ou amigas com férias compatíveis me fez dar a louca e ir sozinha mesmo.

Gente, é muito bom. Além de ser um momento para você colocar os pensamentos em dia, pensar em você mesmo, você só faz o que quer, vai pra onde bem entender…. enfim, vá! Londres é uma cidade que eu super recomendo ir all by yourself. É TANTA coisa pra fazer não vai ter tempo pra carência. Juro.

Vou falar aqui de lugar que eu fui um pouquinho longe do lugar comum. Dicas sobre a London Eye, Tate Britain, Modern e todos os pontos turísticos clássicos, vocês encontram em diversos sites e blogs por aí.

1. Saatchi Gallery

Quando coloquei no papel todos os lugares que queria ir em Londres, a Saatchi estava na lista. Chegando lá, era TANTA coisa pra fazer, que eu não conseguia encaixá-la no roteiro. Até que um dia saí com um pessoal e eles falaram que eu não podia deixar de ir. Fui no dia seguinte e, sério, é o máximo. Eu fui em alguns museus por lá, mas esse foi o que mais me marcou. É de arte moderna, que é a que eu mais gosto. Obras super diferentes. Não sei se dei sorte com a exposição que estava rolando lá, mas ainda assim recomendo. Eu fui num sábado (acho…) e rolava uma feirinha de comida (um mini Borough Market), onde eu acabei almoçando.

1IMG_3286.JPG

IMG_3288.JPGIMG_3290.JPG IMG_5615.JPG

2. Nothing Hill

Ok, não vou conseguir fugir dos pontos mega turísticos, mas essa cidade é tão legal, que nem a turistada vai te incomodar. Em Nothing Hill tem várias coisas pra fazer, mas duas coisas que fiz e recomendo são ir a feira da Portobello Road aos sábados (as melhores compras que fiz em Londres foram lá) e fazer uma aula de culinária no Recipease by Jamie Oliver. Essa é uma dica que pouca gente sabe, mas é super divertido. Não, não é o Jamie que dá a aula, infelizmente. No meu caso, foi uma chef de um dos restaurantes dele e ela tinha TODO o jeitão dele. Eu adoro cozinhar, então amei a experiência. No final, você senta a mesa com a sua turma (era eu e mais três), come o que você fez (fiz uma massa recheada com espinafre e ricota e um molho de manteiga com limão siciliano), bebe uma taça de vinho e fica conversando ali, sem hora para acabar. Se você estiver com viagem marcada pra Londres e curtir uma cozinha, entra nesse site aqui e vê as aulas disponíveis: http://www.jamieoliver.com/recipease/

IMG_5516.JPGIMG_5510.JPG  IMG_5602.JPG IMG_5609.JPG

3. Borough Market

Acontece de quinta a sábado e é uma opção muito boa pra um almoço. É um mercadão, com barraquinhas de comidas de todas as partes do mundo. De sair rolando ❤

IMG_3280.JPG IMG_5573.JPG

4. Brick Lane

Em Brick Lane (a estação do metrô tem o mesmo nome) rola aos domingos uma feira enorme, parecida com a da Portobello Road, mas com menos coisa. O que achei mais legal lá são os grafittis que tem pelas ruas. Super coloridos.

IMG_5655.JPG IMG_5653.JPGIMG_5660.JPG

5. Pubs

A especialidade dos ingleses! A partir das 17hrs você já vê eles começando a encher, mas tudo acaba cedo por lá. Acho que a média do pint (chopp de meio litro) era de 5 libras. 5 libras de cervejas muito boas, vale lembrar. Meus três pubs preferidos foram o Hawley Arms (em Camden Town, era meio que a segunda casa da Amy Winehouse <3), o The Anchor (que fica a beira do Tâmisa. Como eu fui no verão, tava muito sol e muito calor, beber um chopp gelado, perto da brisa da água foi mara) e o Ain’t Nothing But (eles tem uma programação de Blues incrível! Vale ir uma noite pra se sentir como um londrino de raiz. No site tem a programação do mês).

IMG_3276.JPG IMG_5592.JPG IMG_5599.JPG

6. Hostel

Viajar sozinho pede uma hospedagem num hostel. Além de ser MUITO mais barato, você conhece gente de vários lugares do mundo, arruma uma companhia pro caso de bater uma solidão.

Super recomendo o que eu fiquei, o YHA. A localização era a melhor possível. Bem atrás da Oxford street, perto do fervo do Soho (ou seja, a noite as ruas ao redor nunca estavam 100% desertas) e uns 10 minutos a pé do metrô da Oxford Circus.

7. Chip 3G

Chegando em Londres, uma das primeiras coisas que eu fiz foi comprar um chip para usar o 3G no celular. Custa umas 30 libras e dura um mês. É muito útil, ainda mais se você está sozinho. Nunca vai se perder 😉

 

Outra cidade que acho que deve ser super tranquila de ir sozinho é Berlim. Dei umas dicas sobre lá aqui.

E você? Tem mais dicas de Londres um pouco diferentes das que todo mundo já sabe? Deixa ai nos comentários!

beijos

Anúncios

6 comentários sobre “Pra que lado… é o mundo: Londres

  1. Laurinha, eu que estava apreensiva antes de voce viajar por voce ir sozinha, acompanhei bem estes seus dias por email e telefone.Sei que voce curtiu e aproveitou muito mesmo alem de fazer uma viagem descontraida onde o tempo era só seu e indo para lugares que voce curte muito e talvez a “companhia”não iria curtir. É ótimo voce ter esta capacidade de estar com voce mesma fazendo o que gosta.
    Faltou voce dar a dica do cartão telefonico para o viajante compartilhar com quem quiser a curtição da viagem.
    Bjs e vá em frente. Estou adorando
    Mamae

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s